17/04/2016

Passeio de Balão em Boituva

Postado por Loma às 17.4.16
A cidade de Boituva, em São Paulo, é conhecida por ser o point para quem quer voar de balão ou pular de paraquedas. Decidi começar devagar pelo mais "light" rs...ou seja, voar de balão. Paraquedas vai ficar para o próximo aniversário de casamento.


Pesquisando, você perceberá que existem diversas empresas que realizam o passeio, o que causa uma imensa dúvida. A maior dúvida era se podia comprar lá na hora ou se necessariamente precisaria comprar antes. De fato, seria necessário fazer o agendamento com a empresa escolhida.



Os preços variavam bastante. Li um relato sobre a empresa "Aeromagic" onde dizia que o voo normal custava R$600,00 por pessoa! Porém, há promoções dessa empresa no Groupon, então precisa ficar de olho! (P.S. Acabo de ver no site deles que o voo está R$400,00.)

Como estava com pressa (sim, deixei tudo pra última hora!!), precisava de outra saída. Foi então que cheguei ao Viva!experiências. Trata-se de um site de vale-presentes em diversas formas. Achei a ideia super legal para fazer surpresas para as pessoas queridas. Mas, no meu caso, não tinha nada de surpresa. Era só uma questão de valores mesmo...rs O preço do pacote é de R$299,00 e inclui tudo o que um passeio normal teria e é feito pela Aeromagic. Comprei em um sábado e recebi o pacote na terça-feira. Como a ideia é ser um "presente",  você recebe um cartão em uma embalagem toda fofa.


Recebido o cartão, é preciso ir até o site do Viva! validar o código. Quebrei a cabeça, pois estava colocando o código como AC0(zero) e não estava conseguindo. No dia seguinte, entrei no chat da empresa e informei os códigos que não estava conseguindo validar. A atendente me disse, então, que era ACO(oh) e não "zero".

Superado o mico, consegui validar os códigos. Você recebe, então, o voucher com o contato da empresa para agendar o passeio. Já era quarta-feira e queria agendar para sábado (correndo contra o tempo). Mandei e-mail às 9 da manhã. Sem resposta. Mandei whats, foi dito que ia ser verificado. No fim do dia ainda não tinha uma resposta, mandei outro insistente. Consegui, então, a confirmação de que tinha sido agendado para o sábado (UFA).

É preciso estar no Centro de Paraquedismo (local de onde partem os passeios) às 6 da manhã!!! Por esse motivo, é recomendada a pernoite em Boituva. O Hotel Boituva fica dentro do Centro de Paraquedismo! Dá pra sair 5 minutos antes! Achei que essa seria a melhor pedida. Já era sexta-feira!! Mandei e-mail para o endereço de reserva (Entenda: eu evito ao máximo usar o telefone!!! Só em útilma instãncia mesmo!! Rs). Não tive resposta!!! Meu marido telefonou para o hotel de noite e conseguiu o último quarto!!!! (Ufa 2!).

Boituva está a 123km de São Paulo. Acho que existam aqueles que preferem sair de madrugada e chegar lá por volta das 6 para o passeio. Mas eu não. Saímos na sexta por volta das 18h e chegamos lá umas 19h30. Como já estava escuro, chegamos ao centro de paraquedismo mas não encontramos uma indicação clara de onde seria o hotel. Havia um bar e ao lado um predinho que parecia muito o da foto do hotel...rs Estacionamos ali e fomos verificar. Procuramos por uma recepção, mas não encontramos nada. Achei que não era ali, mas uma moça nos chamou e disse que era ali mesmo. Palavras dela: "Aqui é diferente mesmo por ser dentro do centro de paraquedismo"! Ali era a salinha da Skydive Boituva, especializada em paraquedismo.

Pegamos a chave do quarto, e já fiquei preocupada com o som do bar. Pensei: eeee, não vou dormir. Sorte que não dava pra ouvir nada do quarto (ainda mais com o ar condicionado ligado kkkk). O hotel é bem simples e a diária é R$158 no quarto de casal. Vale a pena pela comodidade de estar ali dentro onde tudo vai acontecer!!!

Fomos até o bar beber algo e logo voltamos pra dormir. Acordamos 5h30, nos vestimos e descemos. Bem na frente do hotel havia um quiosque da Aeromagic. Entregamos nosso voucher para a Dione e ficamos aguardando enquanto chegava o resto do pessoal.

Por volta de 6h30, começaram a montar os balões. Essa foi a parte mais legal. Ver toda a magia acontecer. Ainda bem que podemos acompanhar esse processo!!

"Cestinha" chegando
A cestinha é deitada para encher o balão

Um "ventilador" a motor é ligado para encher

Nessa hora você vai acompanhando os balões que estão prontos levantarem voo. Muito legal!!



Nosso balão era de 16 pessoas, mas havia 13 (contando com o "comandante").



Tudo pronto!! Vamos subir. Gente, vocês não tem noção...kkk O comandante solta toda hora uma labareda para o balão subir!!!



O calor dentro desse balão era de matar. Imagino que no inverno deva ser maravilhoso, pois assim você se mantém aquecido. Mas era demais!!! Colocava a mão na minha cabeça e ela tava queimando... Vai ver era por isso que o comandante era careca!!! kkkkkkk

O passeio é bem tranquilo. Diria que é sem emoção...kkk E não estávamos voando muito alto pois o vento mais pra cima estava muito forte. Aliás, subíamos e descíamos o tempo todo.

Panorâmica da linha do horizonte

 

O passeio durou uns 50 minutos. Aí pousamos dentro de uma fazenda, sei lá, e foi uma epopéia pra sairmos de lá. Não podia entrar carro lá pra buscar o balão. Ficamos parados um tempão. Até que decidiram que teríamos que dar uma "voadinha" para fora da propriedade onde tava o carro. Bom, no final deu tudo certo. Serviram champagne para brindar e nos deram um certificado de voo.





Voltamos de van até o Centro de Paraquedismo onde estava sendo servido o café da manhã. Como estava no hotel, já tinha direito ao café, que acontecia no bar. Era só pegar o "voucher" na "recepção" kkk. Porém, a Aeromagic oferecia o café para quem comprou o pacote normal ou o Viva! Groupon não tinha direito e era cobrado R$15,00 para quem quisesse. Tinha ovos mexidos no café, já achei luxo!! Hahaha

E é isso, a experiência foi muito boa, mas ficou um gostinho de "quero mais aventura".kkkk Vendo todo mundo que tava lá pra pular de paraquedas e vendo as pessoas pulando. Quem sabe ano que vem não apareço aqui pra contar essa aventura??? Rs

 

Lomadventures... Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos